DOIS GRITOS QUE MARCARAM A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL!

marcos holanda casagrande 02/09/2018 10:57:34 Artigos
6jnj4kyoYMeJ
Foto: Internet




A nossa independência não foi ganhada no grito, usando uma expressão popular. O desejo ardente dos brasileiros refletido em destemidas ações marcou o processo que culminou com a nossa emancipação política e administrativa, a chamada independência do Brasil. Porém, dois gritos foram marcantes para esse episódio histórico. 


Para ser breve não falarei da história. Porém, é de bom alvitre lembrar que dois importantes gritos reforçaram as esperanças dos brasileiros nos idos anos do final do século XIX de ver consolidada a liberdade – O GRITO DO DIA DO FICO E O GRITO DO IPIRANGA.


O primeiro se deu no dia 09 de janeiro de 1822 que ficou conhecido como o “Dia do Fico”. Depois do retorno da Família Real para Portugal em 1821, as Cortes lusitana estavam a um paço de voltar o Brasil à condição de Colônia. Se o Rei D. João VI já havia retornando, por que não o filho, o Príncipe Regente D. Pedro? Isso era o que arquitetavam as Côrtes portuguesa.


Uma carta da parte das Cortes chega ao Brasil determinando peremptoriamente a volta imediata de D. Pedro para Portugal. O povo se manifesta através de abaixo-assinado aguçando a emoção e incitando patriotismo brasileiro ao Príncipe Regente que vem à sacada do paço no Rio de Jairo e diz ao Presidente do Senado, José Clemente Pereira, que lhe levara o documento, em um tom que só os mais próximos pudessem ouvir, a célebre frase: “SE É PARA O BEM DO POVO E A FELICIDADE GERAL DA NAÇÃO, DIGA AO POVO QUE FICO”. E ficou!!!


A Corte sentindo-se Frontalizada, oito meses depois, envia outra determinação. O Príncipe Regente tinha que voltar. Encabeçado pelas Lojas maçônicas nasce outro abaixo-assinado com mais de 8 mil assinaturas. José Bonifácio que era um deles (maçom) vai ao encontro de D. Pedro que se afastara para tratar de assuntos administrativos da província em São Paulo. O pedido era o rompimento definitivo com Portugal.

 

Agora, às margens do Rio Ipiranga D. Pedro já regressando, mais ainda em território são-paulino, se encontrou com Bonifácio. D. Pedro ao ler o abaixo-assinado ergue a voz para um segundo grito mais forte do que o primeiro e diz: “INDEPENDÊNCIA OU MORTE”. Não foi um grito comum. Um trecho da letra do Hino Nacional expressa que foi “um brado retumbante”. 


Este grito expressou a dor, a paixão e o clamor de uma multidão cansada de ser explorada por 322 anos.


Era 7 de setembro de 1822. No próximo dia 7 comemoraremos 196 anos de nossa independência. Viva os brasileiros!!!

Curta a nossa pagina no facebook

Prof. Carlos Alberto

Postagens Semelhantes

Coluna Empresarial

Doutora Juliana ass leilões Kevia´s Gourmet