A multinacional Kellogg deixa a Venezuela depois de mais de um século

marcos holanda casagrande 16/05/2018 12:59:57 Economia
MSN
3ZNnnLu75ar8
Maduro anunciou que está levando a planta que a Kellogg tinha na Venezuela.




Poucos dias antes da eleição presidencial na Venezuela, no próximo domingo, a empresa norte-americana Kellogg anunciou que está deixando o país.


A multinacional disse em um comunicado que tomou a medida devido à "deterioração da situação econômica e social".


Os trabalhadores disseram que foram impedidos de entrar na fábrica da Kellogg na cidade de Maracay, a cerca de 100 quilômetros de Caracas, na manhã de terça-feira.


O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, que está buscando a reeleição, disse mais tarde em uma manifestação de campanha que ele iria conceder controle de fábrica aos funcionários.


"Vamos iniciar ações legais contra os empresários da Kellogg porque o fechamento de portas é inconstitucional, e tomei a decisão de entregar a empresa aos trabalhadores para que continue a produzir para todo o povo", disse o presidente, segundo um tweet publicado pela conta da Presidential Press.


A Kellogg, que operava há mais de um século na Venezuela, disse que queria voltar ao país no futuro e advertiu que suas marcas não podem ser vendidas "sem a autorização expressa da Kellogg Company".


Em 2016, o governo de Maduro assumiu o controle de uma fábrica que pertencia à americana Kimberly-Clark após ter anunciado o fechamento de suas operações por não conseguir obter matéria-prima.


A multinacional do Texas recentemente solicitou um processo de arbitragem contra a Venezuela perante o Banco Mundial.


A crise econômica que atravessa o país fez com que outras multinacionais deixassem de operar na Venezuela nos últimos anos, como Clorox, Kimberly Clark e General Motors .


A queda do preço do petróleo e a forte desvalorização do bolivar aprofundaram a escassez de medicamentos e alimentos.


Maduro, que ocupa a presidência desde 2013, atribui a crise em seu país à "guerra econômica" empreendida por governos e empresas estrangeiras. Seus críticos, ao contrário, acusam-no de ter administrado mal a economia.

Curta a nossa pagina no facebook

Clique Brasil

Postagens Semelhantes

Coluna Empresarial

Doutora Juliana ass leilões Kevia´s Gourmet