A VERDADEIRA ADORAÇÃO A DEUS NÃO SE FAZ POR PUXA-SAQUISMO OU MEDO DE TIRANIA

Carlos Alberto Silva de Souza 16/07/2020 10:27:23 Religião
religiao
Foto Divulgação


A VERDADEIRA ADORAÇÃO A DEUS NÃO SE FAZ POR PUXA-SAQUISMO OU MEDO DE TIRANIA.

 

"Eu não aceito glória dos homens, mas conheço vocês. Sei que vocês não têm o amor de Deus. (...) Como vocês podem crer, se aceitam glória uns dos outros, mas não procuram a glória que vem do Deus único?" (João 5:41,42,44).

 

Eu já fui frequentador assíduo de templos. Aquilo que comumente chamamos de ir à Igreja. Fiz muito isso por convenção porque a religião faz um doutrinamento relacionando Igreja com templo e verdadeiro adorador com o fato de ser beata. A minha religião, hoje, é o amor e a fé no criador. Naquele em quem todas as coisas tiveram princípios, tem sustentabilidade e terão fim. A religião da religiosidade somada a templos, tidos por muitos como “Casa de Deus”, que em grande parte é casa de discórdias, só traz à tona a força numérica dos idiotas. A verdadeira Casa de Deus, o lugar onde Deus deve verdadeiramente habitar, é o nosso corpo. Este sim: “Vocês não sabem que são santuário de Deus e que o Espirito de Deus habita em vós?” (1 Coríntios 3:16). Por isso não me considero disigrejado pelo fato de não pertencer a uma membresia. Não vejo essencialidade nas eclesiologias congregacionais e institucionalizadas pelas denominações evangélicas. Continuo, vez por outra indo, porque há algumas coisas boas nisso, mas não por essencialidade. Friso: não por essencialidade.

Jesus não pediu bajulações, sacrifícios, puxa-saquismo de ninguém. Vejam o que Ele disse: "A hora é e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores. Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em Espirito e em verdade…”

Veja o que ainda a Bíblia diz no primeiro texto citado: “...conheço vocês. Sei que vocês não têm o amor de Deus..."  Jesus sabia que o procuravam pela busca do material; porque tinha poder de multiplicar pães; porque alimentou quase cinco mil pessoas de uma só vez com dois pães e um peixinho...enfim, porque tinha poderes sobrenaturais. Está claro que a multidão seguiam loucamente Jesus porque esperava receber alguma coisa. Então pensavam: vamos bajular esse homem porque Ele acabará com todas as nossas dificuldades! Mas Jesus que não perde tempo com a aparência das coisas, mas atenta para o interior, procurava fugir daqueles bajuladores como procura fugir dos de hoje. Jesus sabia que aquela mesma multidão que o bajulava, um dia o trocaria por um ladrão e salteador (Barrarás).

O Deus que eu creio não quer seguidores baseados somente nos milagres que Ele faz. Ele não faz questão de louvores convencionais; Ele não faz questão de templos lotados de pessoas pulando, gritando, gemendo, se debatendo, embolando a língua como se isso fosse verdadeira adoração, mas que na verdade é uma forma de puxa-saquismo interesseiro. Deus não quer que ninguém entregue o dízimo e que se vá à Igreja por medo de ser castigado. Deus quer verdadeiros adoradores. Jesus sonha com líderes que iguais a Ele, procurem hoje atender os humildes; Ele sonha com líderes que mostre a grandeza divina e que não esteja somente ligados nos fatos milagrosos para acumular fortuna, fama e politicagem nojenta.

A situação no decorrer dos tempos só fez piorar. As Igrejas, infelizmente, ressalvando exceções, virou comércio. O descaramento chegou a tal ponto que há quem diga que vender milagres ou religião é melhor que vender droga, como se nas drogas tivesse alguma coisa para ser comparada com o bom e saldável. A ganância não é só de muitos líderes, mas de muitos em busca de milagres, de prosperidade e, para isso, se transformam em bajuladores e não adoradores. Esses atraídos pela ganância enchem os templos e como presa fácil farão os falsos líderes atingi-los e conseguir o que quiserem. Em nome da fé eles vão acabar preenchendo o cheque.

Precisamos ser gratos a Deus e demonstrar essa gratidão através do amor ao próximo. Infelizmente muitos pseudos evangélicos ao invés de amar demonstrando a benemerência, preferem confundir gratidão com puxa-saquismo. São pessoas movidas pela má intenção e, em alguns casos, pela má-fé. A verdadeira adoração a Deus não é puxa-saquismo, nem medo de tirania.

 

Prof. Carlos Alberto.


Curta a nossa pagina no facebook

Postagens Semelhantes